Como é que nasceram as associações voluntárias em Portugal?

O número de associações em Portugal é mais reduzido quando comparado com os restantes países da Europa. Isto deve-se, em parte, ao facto da liberdade da associação ter sido interrompida depois o golpe militar entre 1926 e 1974 e só em 1976, na sequência da democratização do regime é que o direito à associação voltou a estar inscrito na constituição.



Nesse período foram criadas em Portugal, as chamadas “Ligas” que foram sujeitas a uma autorização prévia e obrigadas a garantir que a sua finalidade respeitava a autoridade do estado e que eram conforme os desígnios ideológicos do regime.


Esta identificação das “Ligas”, pretendia fazer a distinção em relação às restantes associações e evitar problemas jurídicos.


Qual é o objetivo e o contributo que as associações voluntárias em Portugal dão ao estado?

Estas associações representam os interesses dos seus doentes, neste caso dos oncológicos e das suas famílias junto dos centros de decisão e, sendo figuras jurídicas sem fins lucrativos, estabelecem a colaboração entre instituições estatais com o intuito de colmatar dificuldades ou lacunas existentes na ação governativa.


Monik Leal, palestrante no 1º Congresso Luso-Brasileiro de psico-oncologia, fala-nos sobre o “lado das associações voluntárias em Portugal”, no âmbito da mesa sobre as novas necessidades de quem cuida em tempos de pandemia.


Na oncologia, temos a Liga Portuguesa Contra o Cancro, fundada em 1941, cujos princípios fundamentais são a humanização e a solidariedade.


As associações não têm como função substituir ou sobrepor-se à ação governativa, o objetivo consiste em estabelecer colaboração, na perspetiva de colmatar lacunas existentes no sistema, tendo sempre em vista o que é melhor para o doente oncológico.


Conhecer a realidade das associações voluntárias em Portugal, foi um tema que despertou muito o interesse e a atenção dos participantes deste evento.


Uma intervenção de Monik Leal que muito engrandeceu este evento online e em direto, que se encontra agora disponível em diferido, no site do congresso.



Se não teve oportunidade de estar connosco ao vivo e em direto, poderá aceder agora, acompanhar este acontecimento em diferido e obter o seu certificado. Torne-se membro do site (faça o seu registo), faça a assinatura do seu plano e seja muito bem-vindo(a)!



5 visualizações0 comentário